MASP

Edgar Degas

Mulher enxugando o braço esquerdo (após o banho), circa 1884

  • Autor:
    Edgar Degas
  • Dados biográficos:
    Paris, França, 1834-1917
  • Título:
    Mulher enxugando o braço esquerdo (após o banho)
  • Data da obra:
    circa 1884
  • Técnica:
    Pastel sobre papel
  • Dimensões:
    57,6 x 63,7 x 0,7 cm
  • Aquisição:
    Doação Geremia Lunardelli, 1952
  • Designação:
    Pintura
  • Número de inventário:
    MASP.00083
  • Créditos da fotografia:
    João Musa

TEXTOS



Degas trabalha sobre uma carta ampliada por uma tira inferior e superior de 3 cm cada, perfeitamente visíveis devido ao estado atual da obra. Na oitava e última exposição impressionista de 1886, o artista expõe dez pastéis com o título: Série de Nus de Femmes se Baignant, se Lavant, s’Essuyant ou se Faisant Peigne r. O tema do nu feminino era sabidamente um dos mais caros ao artista; tema clássico, que Degas retoma de modo inteiramente pessoal. Esvaziado de toda conotação veneziana e de todo lirismo, o nu feminino em Degas é, com efeito, objeto de uma rigorosa pesquisa do corpóreo como um mero mecanismo em ação, a tal ponto que Huysmans não poupa críticas ao artista, ao afirmar que cede a tendências misóginas. Sem negar inteiramente esta crítica, Valéry compreende o esforço de Degas de maneira diferente: “Degas, toute sa vie, cherche dans le Nu, observé sous toutes ses faces, dans une quantité incroyable de poses, et jusqu’en pleine action, le système unique de lignes qui formule tel moment d’un corps avec la plus grand précision, mais aussi la plus grande généralité possible. La grâce ni la poésie apparente ne sont pas ses objets. Ses ouvrages ne chantent guère Il est des êtres qui n’ont pas la sensation d’agir, d’avoir accompli quoi que ce soit s’ils ne l’ont fait contre soi-même. C’est là peu-têtre le secret des hommes vraiment vertueux”. Só esquecido de si pode o corpo revelar a potência de seu ser, num instante. Para a pose do quadro em exame, há uma quantidade importante de desenhos preparatórios e estudos complementares já inventariados por Lemoisne (1946-1949, III, pp. 448-449) e rediscutidos por Camesasca (1987, p. 92): quatro pastéis (Lemoisne n. 788bis, 791, 792, 793) com poses próximas e quatro com a mesma pose, mas invertida, datáveis de 1888 (Lemoisne n. 794, 794bis, 795, 795bis). Lemoisne publica, além desses pastéis, três desenhos, também presentes na venda post-mortem de Degas, um deles, conservado na Nasjonalgalleriet de Oslo, é provavelmente matriz da série especular do pastel do Masp, Mulher Enxugando o Braço Esquerdo ( Após o Banho).

— Autoria desconhecida, 1998


Fonte: Luiz Marques (org.), Catálogo do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand, São Paulo: MASP, 1998. (reedição, 2008).



Pesquise
no Acervo

Filtre sua busca