MASP

Francisco Rebolo

Casario com paisagem, 1958

  • Autor:
    Francisco Rebolo
  • Dados biográficos:
    São Paulo, Brasil, 1902-São Paulo, Brasil ,1980
  • Título:
    Casario com paisagem
  • Data da obra:
    1958
  • Técnica:
    Óleo sobre tela
  • Dimensões:
    83 x 61 cm
  • Aquisição:
    Comodato MASP B3 – BRASIL, BOLSA, BALCÃO, em homenagem aos ex-conselheiros da BM&F e BOVESPA
  • Designação:
    Pintura
  • Número de inventário:
    C.01222
  • Créditos da fotografia:
    MASP

TEXTOS



Francisco Rebolo (1902-1980) trabalhou como pintor decorativo de paredes e foi também jogador de futebol, inclusive no Corinthians, para o qual concebeu o desenho do escudo do time. De família proletária, retratou esse cotidiano e o de trabalhadores rurais. Por outro lado, estudou história da arte e dialogou com outros pintores de origem imigrante em São Paulo. Posteriormente, essa troca resultou no Grupo Santa Helena (na década de 1930), do qual fizeram parte pibtires como Alfredo Volpi (1896-1988), Aldo Bonadei (1906-1974) e Clóvis Graciano (1907-1988). Na pintura de Rebolo nota-se uma suavidade cromática — inclusive ele foi chamado de mestre do meio-tomem — composições sintéticas, geometrizadas, chapadas. Suas telas trazem perspectivas, profundidades e planos nublados, o que pode ser observado em Casario com paisagem (1958), em que Rebolo atribuiu também um aspecto envelhecido e rústico às casas. A tela é dividida entre, por um lado, a representação da cidade e seus aglomerados de edificações e, por outro, o ambiente natural com campos e árvores, além das montanhas que tomam o último plano do quadro. A geometria retangular dos casarios contrasta com a copa dos ciprestes de forma ovalada; um deles se mostra com a copa como que engolida pelos casarios. Ademais, a mistura e o acúmulo de formas e tons podem ser vistos na pintura das casas, mas não na do campo, que é representado de forma mais espaçada e livre. Em 1954 Rebolo recebeu um prêmio de viagem ao exterior e viveu na Itália entre 1955 e 1957. Casario com paisagemé, provavelmente, uma obra da fase europeia, realizada sob a influência da paisagem siciliana; foi finalizada após o retorno de Rebolo ao Brasil. Nesse momento, o artista produziu trabalhos de grande rigor geométrico na estruturação formal, influenciados por cores típicas da arquitetura italiana, como os tons de ocre, terra e vermelho.

— Guilherme Giufrida, assistente curatorial, MASP, 2018


Fonte: Adriano Pedrosa, Guilherme Giufrida, Olivia Ardui (orgs.), Da Bolsa ao Museu – comodato MASP B3: arte no Brasil, séculos 19 e 20, São Paulo: MASP, 2018.



Pesquise
no Acervo

Filtre sua busca