MASP

Diálogos
no Acervo

Que relações podem ser feitas entre trabalhos de diferentes origens, períodos e estilos? Os cavaletes de vidro, no 2º andar do MASP, procuram eliminar hierarquias entre as obras do acervo, dispensar roteiros predeterminados e desafiar narrativas canônicas da história da arte. A transparência espacial convida os visitantes a construir seus próprios caminhos, permitindo justaposições inesperadas entre arte asiática, africana, brasileira e europeia. Os diálogos dão-se não somente entre obras, mas também entre elementos que compõem cada peça, como fundo e figura, frente e verso, tela e moldura; ou até mesmo entre as obras e os visitantes.

O programa Diálogos no Acervo substitui o antigo modelo de visitas guiadas, em que os visitantes são conduzidos por um percurso com o anseio de abranger a totalidade ou os destaques de uma exposição. Por meio de mediações mensais, o projeto visa instigar novas relações entre obras, visitantes e mediadores, repensando as formas possíveis de experiência na galeria. Os encontros buscam promover diálogos múltiplos, com todos os tipos de público.

Os Diálogos no Acervo acontecem mensalmente, nas terças-feiras das segundas semanas de cada mês, a partir das 16h.

12.7.2022

Paulo Nazareth, Sem título, da série Para lembrá-lo de permanecer em silêncio 1, 2010. Doação Heitor Martins, Fernanda Feitosa, 2020. Foto Eduardo Ortega

Benedito José Tobias, Mulher, entre 1934-1963. Doação anônima, 2021 

Benedito José Tobias, Homem com Chapéu, 1954. Doação anônima, 2021

Heitor dos Prazeres, O artista, 1959. Compra com recursos fornecidos por Grupo Segurador Banco do Brasil, Mapfre, 2017
 

Anteriores