MASP

Marie Laurencin

Guitarrista e duas figuras femininas, 1934

  • Autor:
    Marie Laurencin
  • Dados biográficos:
    Paris, França, 1883-Paris, França ,1956
  • Título:
    Guitarrista e duas figuras femininas
  • Data da obra:
    1934
  • Técnica:
    Óleo sobre tela
  • Dimensões:
    50,5 x 61,5 cm
  • Aquisição:
    Doação Banco Hipotecário Lar Brasileiro S.A., 1947
  • Designação:
    Pintura
  • Número de inventário:
    MASP.00155
  • Créditos da fotografia:
    João Musa

TEXTOS



Marie Laurencin ingressou na Académie Humbert, em Paris, em 1905, interessada na pintura de porcelanas. Lá, estudou com Georges Braque (1882‑1963), que a levou ao ateliê de Pablo Picasso (1881‑1973), na rua Ravignan, com o intuito de incentivá-la a ampliar as possibilidades de sua pintura. Frequentou o espaço durante alguns anos, onde teve contato com discussões sobre temas como a superação do fauvismo pelo cubismo, em especial depois de o poeta Guillaume Apollinaire (1880-1918) apresentar‑lhe o livro Les Peintres cubistes: méditations esthétiques [Pintores cubistas: meditações estéticas], de 1913. No entanto, Laurencin jamais assimilou o espírito cubista; ao contrário, sua pintura é leve e fluida. Obteve reconhecimento como ilustradora: são dela as litogravuras da versão de Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll, publicada em 1930 na França. Guitarrista e duas figuras femininas (1934) é um exemplo fiel de sua paleta de cores suaves, marcada por tons de rosa e azul, com linhas tênues entre cada campo de cor. A cena do encontro musical ao ar livre remete a pinturas já consagradas, de Giorgione ( circa 1477-1510) a Edouard Manet (1832-1883), o que revela a presença de temas acadêmicos no vocabulário de Laurencin.

— Equipe curatorial MASP, 2017





Trata-se do colóquio musical, repleto de alusões histórico-artísticas de Giorgione a Manet, que Laurencin aborda com um senso de equilíbrio compositivo, não destituído de um certo classicismo. Ao tema da figura feminina com guitarra – Guitarrista e Duas Figuras Femininas–, a artista retorna com grande freqüência, como se depreende do Catálogo Raisonné.

— Autoria desconhecida, 1998


Fonte: Luiz Marques (org.), Catálogo do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand, São Paulo: MASP, 1998. (reedição, 2008).



Pesquise
no Acervo

Filtre sua busca