MASP

Emiliano Di Cavalcanti

Pescadores, 1944

  • Autor:
    Emiliano Di Cavalcanti
  • Dados biográficos:
    Rio de Janeiro, Brasil, 1897-Rio de Janeiro, Brasil ,1976
  • Título:
    Pescadores
  • Data da obra:
    1944
  • Técnica:
    Óleo sobre tela
  • Dimensões:
    94 x 128 cm
  • Aquisição:
    Comodato MASP B3 – BRASIL, BOLSA, BALCÃO, em homenagem aos ex-conselheiros da BM&F e BOVESPA
  • Designação:
    Pintura
  • Número de inventário:
    C.01216
  • Créditos da fotografia:
    MASP

TEXTOS



Filiado ao antigo Partido Comunista do Brasil (PCB) desde 1928, Emiliano Di Cavalcanti defendeu uma pintura politicamente comprometida, como ferramenta para representar e valorizar o trabalho, os costumes e os tipos populares. Procurou desenvolver uma forma de pintar e uma temática voltadas à construção de uma identidade pictórica nacional. Em Pescadores (1944), Di Cavalcanti pinta com grandiosidade os gestos amplos e solenes dos personagens — que ocupam quase toda a tela —, conferindo-lhes relevância e dignidade. Suas pinturas daquele momento revelam o contato com o expressionismo alemão, e principalmente com a obra de George Grosz (1883-1959), marcada por uma crítica social ácida e caricaturesca, pelo universo boêmio e pelos corpos deformados em tons sóbrios. Nesta tela, Di Cavalcanti busca apreender certo modo de vida da sociedade brasileira, valorizando as atividades ligadas às culturas tradicionais. Pinta com integridade e beleza o trabalho da pesca, tema que atravessa a sua obra. Nota-se o cuidado com a representação do resultado do trabalho coletivo: os peixes. Veem‑se diferentes padronagens nesta pintura: o fundo preto com pinceladas marrons, as listras da calça, a geometria dos tijolos, o trançado das cestarias, o ripado da madeira e as escamas dos peixes — pintadas em tons iluminados de prata, amarelo e verde. A trabalhadora parece manipular um tecido branco, que percorre a composição, protegendo a barraca onde os peixes são comercializados.

— Guilherme Giufrida, assistente curatorial, MASP, 2018


Fonte: Adriano Pedrosa, Guilherme Giufrida, Olivia Ardui (orgs.), Da Bolsa ao Museu – comodato MASP B3: arte no Brasil, séculos 19 e 20, São Paulo: MASP, 2018.



Pesquise
no Acervo

Filtre sua busca