MASP

Pierre-Auguste Renoir

Retrato de Marthe Bérard, 1879

  • Autor:
    Pierre-Auguste Renoir
  • Dados biográficos:
    Limoges, França, 1841-Cagnes-sur-Mer, França ,1919
  • Título:
    Retrato de Marthe Bérard
  • Data da obra:
    1879
  • Técnica:
    Óleo sobre tela
  • Dimensões:
    131 x 77 x 3 cm
  • Aquisição:
    Doação Grupo de canadenses, amigos do MASP, 1952
  • Designação:
    Pintura
  • Número de inventário:
    MASP.00098
  • Créditos da fotografia:
    João Musa

TEXTOS



Renoir estudou na École des Beaux-Arts de Paris e fez parte do primeiro núcleo de artistas impressionistas, com Claude Monet (1840-1926), Camille Pissarro (1830-1903) e Alfred Sisley (1839‑1899). Os pintores dessa corrente buscavam captar o efêmero, aquilo que rapidamente muda de feição, como a vida moderna nas cidades. Em geral, essa fluidez aparece em pinturas de paisagem ou vistas urbanas, com sua luz em constante movimento. Renoir, porém, deu grande importância à representação da figura humana, que aparece em retratos, cenas de cafés e bares ou em nus femininos. As doze pinturas do artista na coleção do MASP abarcam quase toda a sua carreira, da juventude à velhice. A menina no Retrato de Marthe Bérard (1879) foi a primeira dos quatro filhos de Paul Bérard (1833-1905) que Renoir pintou e também seu primeiro retrato feito sob encomenda. Os Bérard eram uma família de amigos e colecionadores do artista. Esta pintura, depois reproduzida em menor escala, foi construída com pinceladas rápidas e uniformes, quase sem distinção de tratamento entre a figura e o fundo, algo em geral valorizado pela tradição pictórica europeia. O rosto de Marthe tem o mesmo tratamento que as demais partes da tela, construída com poucas cores, ocres e azuis.

— Equipe curatorial MASP




Por Laura Cosendey
O mais importante colecionador de Pierre-Auguste Renoir (1841-1919) foi o diplomata e banqueiro Paul Antoine Berard (1835-1905), amigo do pintor. Renoir o conheceu através do colecionador Charles Deudon (1832-1914) em 1879, e a partir de então frequentou as casas de Berard em Paris e no litoral norte da França, o Castelo de Wargemont, perto de Dieppe. Berard comissionou muitas pinturas a Renoir, incluindo retratos de si próprio, de sua esposa, dos filhos Marthe, Margot, André e Lucie, além dos sobrinhos Therese e Alfred. A primeira encomenda é o extraordinário retrato de corpo inteiro de Marthe, do MASP. A filha mais velha de Berard, então com 9 anos, porta sapatos e vestido pretos com gola e punhos de renda branca, laços e fitas azuis no pescoço e na cintura, da mesma cor que suas meias-calças—numa delicada combinação com a cor de seus olhos. Marthe olha para seu lado direito, com suas mãos entrelaçadas numa pose resguardada, elegante e madura. O preto e o azul de suas vestes introduzem a palheta do fundo do quadro, uma área diáfana e vibrante construída com sucessivas pinceladas em cinza, azul e ocre, contrastando com o tratamento mais bem definido e luminoso do rosto. Marthe aparece em outras pinturas de Renoir: em A pequena pescadora, e, aos 14 anos, costurando com as irmãs, no excepcional Tarde de crianças em Wargemont. Renoir pintou cerca de 40 telas para Berard, incluindo 16 retratos da família, bem como cenas de interior e paisagens em Wargemont. O amigo do pintor vendeu sua coleção num bem sucedido leilão em 1905, porém morreu naquele mesmo ano.

— Laura Cosendey, assistente curatorial, MASP, 2021





Por Luciano Migliaccio
Daulte (1974) proporciona-nos as informações sobre a modelo e as relações entre o pintor e a família Bérard. Paul Bérard foi secretário de embaixada, banqueiro e administrador de empresas. Conheceu Renoir em 1879, graças ao colecionador Charles Deudon, que comprara A Bailarina, hoje em Washington. Bérard chegou a possuir 32 obras de Renoir, tornando-se um de seus mais importantes colecionadores. Tinha quatro filhos: André, nascido em 1868, e três mulheres. O retrato da filha mais velha, Marthe, foi a primeira encomenda a Renoir. Nascida em 1870, estava com nove anos quando posou para o artista. O quadro do Masp – Retrato de Marthe Bérard– marcou o começo de uma longa amizade entre Renoir e a família Bérard. O artista freqüentou tanto a casa dos Bérard em Paris como a residência de campo da família, em Wargemont, perto de Dieppe. Foi ali, no verão de 1879, que Renoir pintou outro retrato de Marthe, conhecido como a Pequena Pescadora de Mariscos (Genebra, coleção Darier), do qual fez uma réplica para a avó da menina (Nova York, coleção particular). O retrato da segunda filha do casal Bérard, Margot, é datado da mesma época. No verão seguinte, Renoir pintou o retrato do pequeno André e em 1883 o da última filha, Lucie. As duas primeiras meninas reaparecem juntas com o irmão num estudo de oito cabeças infantis, datado de 1881 (Clark Institute de Willamstown), e nas Crianças em Wargemont (1884, Berlim, Staatliche Museum) estão representadas apenas as meninas. Esta pintura foi a última da série de obras encomendadas por Bérard, que morreu em 1905, série da qual fazem parte outros retratos, alegorias e naturezas-mortas. Para Camesasca (1989, p. 154), a obra do Masp teria um caráter extraordinário na produção de Renoir, pela escolha das cores e pela fineza da execução, com retomadas dos mesmos tons, quase uma variação sobre um tema cromático, semelhante às variações sobre um tema musical. O corte do retrato, de figura inteira e de pé, lembra sobretudo a retratística inglesa do século XVIII, enquanto as cores e a pincelada remontam a Tiziano e a Rubens.

— Luciano Migliaccio, 1998


Fonte: Luiz Marques (org.), Catálogo do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand, São Paulo: MASP, 1998. (reedição, 2008).



Pesquise
no Acervo

Filtre sua busca