MASP

Jean-Baptiste Pater

Reunião num parque, 1719-20

  • Autor:
    Jean-Baptiste Pater
  • Dados biográficos:
    Valenciennes, França, 1695-Paris, França ,1736
  • Título:
    Reunião num parque
  • Data da obra:
    1719-20
  • Técnica:
    Óleo sobre tela
  • Dimensões:
    67 x 82,5 x 2,5 cm
  • Aquisição:
    Compra, 1958
  • Designação:
    Pintura
  • Número de inventário:
    MASP.00052
  • Créditos da fotografia:
    João Musa

TEXTOS



Pater foi o aluno predileto do mais renomado pintor do rococó francês, Antoine Watteau (1684-1721), continuando seu estilo e seus temas, em particular as chamadas “festas galantes”. Depois da morte do rei Luís XIV (1638-1715), a aristocracia francesa, cansada do luxo e do rígido cerimonial da corte, procurou na literatura pastoral um novo ideal de comportamento menos afetado e pomposo, mas não menos sofisticado. Ao lado das grandes residências são construídos parques e vilas, inspirados na vida do campo, onde se organizavam festas campestres, divertimentos elegantes dentro de cenários inspirados na Arcádia mitológica, com pavilhões e templos dedicados às divindades do amor. Como seu mestre Watteau, Pater destacou-se por representar esses temas e foi admitido na Académie Royale em 1728. Além de grande desenhista colorista, Pater foi famoso pelos retratos. A obra do MASP, Reunião num parque (1719-20), é um exemplar do modelo de fantasia arcadista, com exaltação da natureza, tão presente na obra de Pater. A composição é triangular e tem na sua base o grupo de mulheres e rapazes vestidos com requinte, distraídos com seus pequenos prazeres. Embora a luz na paisagem seja difusa, o grupo em primeiro plano tem um foco quase teatral, as roupas coloridas e brilhantes encontram-se em destaque. É um dos raros quadros assinados de Pater, em meio à grande produção de seu ateliê, frequentemente repetitiva.

— Equipe curatorial MASP, 2017




Por Luciano Migliaccio
O clima de deleite que perpassa o quadro de Pater provém inevitavelmente de seu mestre Watteau. A composição é nitidamente triangular, no sentido de um leque aberto na posição invertida, cuja extremidade se situa na metade superior da tela, e a larga base constitui o grupo humano inserido na natureza (Aguilar 1991). A obra Reunião num Parqueé considerada por Camesasca pendant do quadro L’Amour en plein air, outrora na coleção J. R. Thompson de Nova York. Várias figuras semelhantes encontram-se também na fête galante da Wallace Collection de Londres. Um terceiro tema semelhante está no Victoria and Albert Museum de Londres, apesar de haver muitos elementos da cena totalmente diversos. Nas três composições permanecem inalterados os elementos arquitetônicos e a paisagem. Este é um dos raros quadros assinados por Pater, o que faz Camesasca pensar que se trate de uma obra totalmente realizada pelo artista, no conjunto de uma produção com freqüência repetitiva.

— Luciano Migliaccio, 1998


Fonte: Luiz Marques (org.), Catálogo do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand, São Paulo: MASP, 1998. (reedição, 2008).



Pesquise
no Acervo

Filtre sua busca